domingo, 16 de fevereiro de 2014

Aquela Coisa Titânica


Lucian Freud em foto tirada pelo assistente David Dawson

“O alto valor da habilidade e da qualidade da arte só pode ser obtido elevando-se acima da dualidade da competição.” - Jigoro Kano

   O texto é célere e a conclusão é simples, por isso ela vem na introdução: para ser um artista é preciso ser cru! E se acha que a arte precisa mais de você do que o oposto, asseguro-lhe que não és um artista.
   A arte é a expressão do que há de mais nobre e sublime em nós, é o escarro das angustias, terrores e temores – de quem faz e de quem consome. Ela é o protesto e o gozo, o sobre-humano e o animal, isso e aquilo, sempre de proporções extraordinárias, mesmo quando breve. Diria que é o equivalente ao Uivo de Allen Ginsberg na literatura. Arte não é para os parvos, não é sobre ego.
   Necessita-se de tanta coragem para ser um artista, quanto para ser um letrado, um escritor ou aventureiro. Ninguém se torna artista, nasce artista – e posteriormente, se tiver sorte, descobre-se. Ao contrário de ser mulher.
   Vou polemizar e terminar esse textículo com uma pergunta: A arte é o IT de Clarice Lispector.

Nota: Jigoro Kano foi o fundador do judô. É visível que na frase acima ele se refere às artes marciais, porém me atrevo a interpretar a frase de outra maneira. Sorry!

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Flores e Sementes





"A neve e as tempestades matam as flores, mas nada podem contra as sementes." - Khalil Gibran

    Flores. Estive lendo sobre elas. Percebi que deixam de ser poéticas quando se lê sobre sua reprodução.
    Me questiono sobre o que há de tão poético nelas. O que é tão belo nesse pedaço de vida irracional? Por que arranca-las de suas raízes e envolve-las num embrulho bonito para presentear, é um gesto tão desejado pelas mulheres? Talvez seja louca, rebelde, liberal demais ou até pouco romântica, mas não consigo querer. Não consigo cobiçar a morte fria e sem remorso de algo que nem sequer pode pedir que lhe poupem a própria vida.
    Para mim, presentear com flores podadas é o mesmo que presentear com uma morte vã, lenta, impiedosa e sem qualquer sinal de culpa. Por isso prefiro o romantismo sútil das sementes plantadas ou para plantar. Prefiro ver florescer cores e formas única e ousadas, majestosas em seu delicado reino verde. Prefiro cuidar para que dure por uma vida a ver morrer rapidamente. Embora saiba que é quase impossível existir lógica no que digo.
    




domingo, 19 de agosto de 2012

Naquela Noite Chuvosa




(No final do texto há uma sugestão de trilha sonora para ouvir durante a leitura.)

   Há poucos minutos estávamos tortuosamente separadas por finas camadas de tecidos que nos vestiam. Mas agora não há nada entre nós, e em nós, há apenas o calor trocado por nossas peles.

   Sussurros ofegantes tentam desesperadamente expressar em palavras o que arrepios dizem com uma facilidade humilhante. Os lábios que se devoram apaixonadamente entram em perfeita sintonia com os corpos que se movem com volúpia - uma sinfonia genuinamente sedutora e sensual regida por espasmos  causados por toques que buscam a auto satisfação.

   Seus belos olhos percorrem cada pedaço de meu corpo nu que há pouco se livrou daquelas finas camadas de tecidos que tocavam delicadamente minha pele clara como o sol da noite escura, despertando-me um desejo incontrolável de tocá-la com a boca e amá-la com a língua como se não tivesse mãos para isso.
   Ela morde meus lábios carnudos, antes coloridos de vermelho como sangue derramado em guerra, agora de cor natural, rosados com tom de pele corada. Provocadora, faz pouco de minha incapacidade de resistir a seus encantos. Lentamente desce umedecendo meu pescoço com sua saliva, suas mãos acomodam-se em meu colo, e com um sorriso sugestivo ela recita poemetos eróticos sem pronunciar uma palavra sequer.

   A perfeição por sua vez, se faz presente toda vez que olho para sua face de traços delicados e femininos, emoldurada por seus cabelos negros e cacheados, seu corpo de curvas deliciosamente perigosas e sua pele negra. Ah! Aquela pele negra! É a responsável pelas minhas insônias e pelos meus mais excitantes sonhos. Aquela pele negra, macia como seda que contrasta com a minha tão branquinha. Aquela pele negra que mostra toda sua sensualidade quando brinca com a meia-luz enquanto ela move seu quadril, dançando para mim. Ah! Aquela pele negra que faz meu corpo arrepiar, suplicar com esforço, se contorcer, se estreitar, se arquejar venerando o teu sexo.

   Mas então, sem avisar, uma nascente pulsante que jorra prazer apressa o ritmo, faz falhar a respiração, intensifica os movimentos que instigam o querer carnal, dá-me a sensação de que já não sou mais dona de mim. Não demora muito, logo ouço a sua voz, me conta um segredo, um segredo tão sigiloso que ela não ousa pronunciá-lo, porém, expressa-o em um gemido de satisfação imensamente prazeroso, e eu entendi o que quis dizer, seu significado é simples, chegamos ao final e agora a única coisa que me resta é minha mão molhada em seu tesão.

Link: http://www.rainymood.com